Dr Hallim - Retinoblastoma e outros problemas da visão
Dr Hallim - Retinoblastoma e outros problemas da visão

Retinoblastoma + 4 sinais ocultos de problemas de visão em crianças

Publicado originalmente no portal Just Real Moms

Olá!

Janeiro é um mês diferente no consultório.

Durante o ano todo atendo muito mais adultos do que crianças, mas em janeiro a proporção se inverte e as crianças são a maioria.

É realmente um ótimo momento para verificar a saúde ocular das crianças de modo que a volta às aulas não traga nenhuma surpresa.

O exame oftalmológico é importante na preparação no ano letivo, uma vez que a visão das crianças muda de ano para ano à medida que elas crescem.

Por mais que o pior das infinitas aulas online tenha passado, a escola exige intenso envolvimento visual.

A aprendizagem pode envolver leitura, escrita, trabalho no computador, leitura da lousa, do livro, do caderno….

Se os olhos da criança não estiverem à altura da tarefa, ela pode se sentir cansada, desestimulada e ter problemas de concentração. Tudo isso levando a piora no desempenho escolar.

Até na educação física as crianças precisam de uma visão adequada. Os esportes com bola, por exemplo, viram um tormento para as crianças que não estão enxergando como poderiam.

Às vezes, os pais podem perceber que o filho tem um problema de visão!

Pode ser que seu filho aperte os olhos para enxergar de longe, ou segure o material de leitura muito próximo ao rosto.

As crianças maiores muitas vezes já sabem perceber que as coisas parecem embaçadas (embora algumas vezes elas não nos contem).

Esses, e muitos outros sinais, são mais fáceis de perceber e saber que precisamos levar nossos filhos a uma consulta.

Porém existem alguns sinais menos óbvios de problemas de visão também. Esses podem passar despercebidos, mas não são menos importantes.


Então, aqui estão quatro sinais sutis que podem apontar para problemas de visão em crianças.

#1 Ter um curto período de atenção

Seu filho pode parecer perder rapidamente o interesse em jogos, projetos ou outras atividades longas.

Seu olho pode enxergar tudo, porém às custas de maior esforço.

Nesses casos o excesso de esforço para enxergar de perto pode fazê-lo se cansar mais rápido e não conseguir acompanhar os colegas em atividades longas.

#2 Pulando palavras ou linhas ao ler

À medida que seu filho lê (em voz alta ou silenciosamente), ele pode ter dificuldade em ver para acompanhar onde ele está na página, perdendo o lugar que está e voltando para achar.

Além de dificultar o aprendizado, isso também faz a criança se cansar mais rápido e perder o interesse.

#3 Evitando a leitura e outras atividades próximas

Seu filho pode evitar ler, desenhar, jogar ou fazer outros projetos que precisam de foco próximo.

Atenção: as crianças podem ser sutis sobre isso e não falar sobre o problema que estão tendo

#4 Virando a cabeça para o lado

Uma criança pode virar a cabeça para o lado ao olhar para algo à sua frente. Isso pode ser um sinal de estrabismo, onde a criança para não enxergar duplo passa a posicionar a cabeça para um dos lados para alinhar os olhos.

#5 Retinoblastoma

Semana passada, os pais Tiago Leifert e Daiana Garbin, falaram abertamente na imprensa sobre o diagnóstico de Retinoblastoma que receberam outubro passado, para sua filha. Então, decidi também falar um pouco sobre isso.

Raramente, um reflexo branco numa fotografia pode significar um tumor dentro do olho. Não está entre as doenças mais comuns, porém é a mais grave e quando aparece a principal idade acometida é em torno de 18 meses de idade – fora da idade de que estamos falando mais nesse texto pra crianças em idade escolar.

Optei por comentar sobre essa doença aqui devido ao momento da publicação desse artigo, e porque muitas vezes não se manifesta tão nitidamente quanto nessa imagem.

É um diagnostico diferencial da catarata congênita – a diferenciação entre essas doenças é facilmente percebida pelo oftalmologista ao exame. Quando detectada precocemente tem um índice de cura em torno de 90%.

Vale lembrar que a primeira triagem de catarata e retinoblastoma é feita já na maternidade com o teste do olhinho, obrigatório na rede pública no Brasil.

É uma das razões de eu sempre insistir em dilatar as crianças da consulta – algumas mães não gostam porque ficam com dó, sempre falo que o ardido do colírio quando a gente pinga o anestésico antes é parecido com abrir os olhos na piscina, nada tão ruim assim.


Exames oftalmológicos anuais são importantes

O sucesso na escola está intimamente ligado à saúde ocular.

Até os 10 anos de idade, pelo menos, as crianças precisam de exames oftalmológicos regulares, ao menos anuais.

Algumas alterações são mais facilmente tratadas quanto mais cedo as detectamos.

E assim, a qualidade de estudo e de vida dos seus filhos poderá ser melhor tanto dentro, quanto fora da escola.

Ah! E se por acaso em um desses exames anuais a gente descobrir que sua criança precisa de óculos, não se preocupe, deixei um texto aqui uns meses atrás falando sobre como lidar com essa novidade dentro de casa.

Até o mês que vem!

Dr. Hallim Féres Neto

Formado em Medicina pela Faculdade de Medicina do ABC em 2004, Residência em Oftalmologia pela Faculdade de Medicina do ABC em 2007 e especialização em Gestão em Saúde no Insper em 2015. É Cirurgião de segmento anterior no Hospital Israelita Albert Einstein desde 2010 Possui especialidade em: Cirurgia Refrativa, Catarata, Ceratocone e Adaptação de Lente de Contato

Deixe um comentário